Estratégia, um dos pilares da sustentabilidade

Conforme prometido, vamos ao último pilar da gestão e da liderança. Estamos falando da ‘estratégia’, que compõe o tripé ‘pessoas, processos e estratégia’.

Em artigos anteriores, falamos da importância da gestão das pessoas e do desenvolvimento humano, e da mesma forma, do quanto é importante ter processos definidos e uma comunicação eficiente.

Mas porque a estratégia é um dos pilares de sustentação de qualquer negócio? De uma forma bem resumida, estratégia empresarial é um composto de ações direcionadas, planejadas e adotadas pela empresa para ganhar vantagem competitiva frente ao seu mercado ou cenário de atuação, e visa potencializar suas capacidades a fim de atingir objetivos pré-estabelecidos.

Diante disso, a estratégia deriva do misto de um profundo conhecimento interno (de tudo o que acontece dentro da empresa) e também de um vasto conhecimento externo (do seu mercado de atuação e tudo o que influencia direta ou indiretamente o seu negócio).

Fazendo uma analogia clara ao parágrafo acima, lembrei do livro “A Arte da Guerra” de Sun Tzu. Segundo o estrategista a formulação de uma estratégia deve respeitar princípios fundamentais, caso contrário você não vencerá as batalhas, conflitos ou guerras. Ele cita:

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas”.

E na prática, isso pode ser traduzido em ações contínuas de análise de cenários, mobilização de equipes, alinhamento e direcionamento claros e a transformação de objetivos em ações que sejam passíveis de execução em cenários de curto, médio e longo prazo. É o movimento contínuo de repensar o negócio, colocando a equipe em contato direto com os problemas, com a busca de soluções, onde o envolvimento e a responsabilidade são os propulsores da mudança.

Neste sentido, quando falamos em estratégia, não podemos esquecer jamais do Planejamento Estratégico, cuja proposta utiliza um conjunto de ferramentas e metodologias para transformar informações em ações práticas passíveis de execução, direcionadas para a construção de um futuro, no mínimo mais factível. Isso porque a proposta do Planejamento Estratégico é a de trazer a empresa e seus colaboradores uma visão mais nítida do futuro, já que mobiliza os gestores e a equipe a pensar o negócio, trazendo a compreensão de que com ações conjuntas e coordenadas é possível prever este futuro com mais assertividade e com menos margens para desvios.

Mas, este exercício precisa ser contínuo! Como consultores, entendemos que isso precisa ser incorporado ao DNA dos gestores, ou seja, precisa entrar na rotina como acordar todos dias, afinal sem estratégia, processos e pessoas podem ser direcionados para o lado contrário do sucesso empresarial.

E repito aqui: isso não é algo exclusivo de médias e grandes empresas. Todos, sem exceção precisam ser especialistas em planejamento, precisam envolver a equipe, precisam repensar continuamente o negócio, saindo do automático, da famosa zona de conforto, já que essa é a maior armadilha do processo de gestão em qualquer empresa.    

Portanto, quando falamos em estratégia lembre-se sempre que:

  • Sua empresa precisa ter claramente uma missão, uma visão e valores claros. E isso não pode ser pro forma. O mundo já está repleto de informações “vazias” e sem sentido, portanto se você criou tudo isso para pendurar na parede em um quadro bonitinho ou para simplesmente preencher seu site, preciso lembra-lo que você está dando um tiro no próprio pé. Em resumo, isso precisa ser o norteador de todas as ações da empresa, desde o macro até o micro.
  • Sua empresa precisa ter objetivos estratégicos, que precisam ser transformados em metas claras e passíveis de execução.
  • Sua equipe precisa ser envolvida no processo. A construção de estratégias precisa ser compartilhada com quem vivencia o dia-a-dia, afinal as pessoas que trabalham com você são a maior fonte de informação para a mudança.
  • Você precisa ter a consciência dos pontos fortes, fracos, ameaças e oportunidades que contemplam atualmente o seu negócio. Com isso, você consegue potencializar o que você tem de melhor e corrigir as suas deficiências. E tenha em mente que o primeiro passo para a mudança é assumir que existem problemas e que isso não acontece só com o vizinho ao lado (#semmimimi).
  • Você precisa sair um pouco do seu quadrado. Vivenciar novas experiências e conhecer outros modelos de negócio é fundamental para expandir novas reflexões e ampliar o potencial criativo.
  • Mergulhe de cabeça no processo. Não existe mudança sem dedicação. Mesmo com rotina pesada do dia-a-dia, organize o seu tempo para pensar estrategicamente. Caso contrário, somos engolidos pela rotina diária. 
  • Não tenha medo de errar, afinal isso faz parte do processo de aprendizado. O medo nos paralisa para a ação e prejudica a implementação de mudanças.

Portanto, para complementar a nossa visão a respeito de estratégia, cito uma frase de Napoleão Bonaparte:

“A estratégia é a ciência do emprego do tempo e do espaço. Sou menos ávaro com o espaço do que com o tempo. O espaço pode ser resgatado. O tempo perdido, jamais.”


Tenha um fantástico 2021!

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

CONFIRA

MAIS ARTIGOS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta